April 25, 2024
Manaus

Prefeitura de Manaus lança terceira edição do Boletim Epidemiológico de Arboviroses

Prefeitura de Manaus lança terceira edição do Boletim Epidemiológico de Arboviroses Foto: divulgação

Na segunda-feira, 22 de janeiro, a Prefeitura de Manaus divulgou os números mais recentes de casos de dengue, chikungunya, zika, oropouche e mayaro detectados na capital no Boletim Epidemiológico de Arboviroses da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

O documento, de número 3, com informações da Semana Epidemiológica que vai de 14 a 20 de janeiro, apresenta que Manaus teve 574 casos suspeitos (notificados) de dengue, sendo que 82 deles foram confirmados e 1.440 estão em processo de investigação. Quatro casos de zika foram notificados, com 11 ainda sob investigação. Em termos de chikungunya, há quatro notificações e 17 casos sob apuração. No período de 14 a 20 de janeiro, não houve confirmações de zika ou chikungunya.

O relatório também aponta 46 novos casos de oropouche e nenhum de mayaro. Como essas duas doenças não são de notificação compulsória, não há registros de casos notificados.

De acordo com o boletim, em 2024 foram confirmados 524 casos de dengue, um de zika e 372 de oropouche. Não há confirmações de chikungunya ou mayaro para este ano.

O Boletim Epidemiológico de Arboviroses é uma produção conjunta das gerências de Vigilância Epidemiológica, de Vigilância Ambiental e Controle de Agravos por Vetores, e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde da Semsa Manaus. Os dados são obtidos a partir do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), por meio do Sinan-Online e Sinan Net, e do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), sendo passíveis de atualização.

Importantes ações preventivas estão sendo divulgadas pela Semsa Manaus, como a realização de vistorias semanais em quintais e no interior das residências para identificar e eliminar potenciais focos de água parada, que pode se tornar um criadouro para Aedes aegypti e outros mosquitos transmissores de arboviroses.

Algumas medidas preventivas incluem o descarte adequado de materiais que possam acumular água parada, como pneus e garrafas descartáveis, a manutenção limpa de calhas e ralos, o preenchimento de pratos de plantas com areia e a vedação de caixas d’água. É importante também dar descarga em vasos sanitários que são pouco usados.

O subsecretário municipal de Gestão da Saúde, Djalma Coelho, enfatiza que o combate aos mosquitos é uma das principais maneiras de prevenir arboviroses. “Se todos ajudarem, eliminando os criadouros, os mosquitos não terão onde se reproduzir, a população ficará menos exposta e menos pessoas ficarão doentes”, ressalta.

Djalma realça que a Semsa Manaus tem intensificado suas ações continuadas de prevenção e controle de arboviroses durante a estação chuvosa, que facilita a formação de focos de água parada e a proliferação do Aedes e outras espécies de vetores. Essas ações incluem o manejo ambiental e as inspeções domiciliares realizadas pelos agentes de vigilância.

Essas ações são principalmente reforçadas nas áreas mais propensas a doenças, conforme dados do Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), conduzido em Manaus no período de 6 a 22 de novembro, e das notificações de casos de dengue, chikungunya e zika. De acordo com o estudo, Manaus possui nove bairros com alta vulnerabilidade, enquanto 35 apresentam média vulnerabilidade e 19 têm baixa vulnerabilidade para infestações.

Texto – Jony Clay Borges / Semsa
Fotos – Divulgação / Semsa

Fonte: https://www.manaus.am.gov.br/noticias/saude/prefeitura-de-manaus-divulga-edicao-no-3-do-boletim-epidemiologico-de-arboviroses/

About Author

redacao