April 25, 2024
Manaus

Pesquisadores realizam expedição em busca de peixes-elétricos na Amazônia

Pesquisadores realizam expedição em busca de peixes-elétricos na Amazônia Foto: divulgação

Nesta terça-feira (20), uma equipe de cientistas dá início a uma expedição de busca submarina no Rio Negro, localizado no Amazonas, na tentativa de localizar espécies pertencentes à Gimnotiforme, a ordem dos peixes-eletricos. O objetivo não é apenas identificar novas espécies, mas também fomentar a consciência e a preservação da rica biodiversidade da região.

A viagem faz parte do projeto Diversidade e Evolução dos Gymnotiformes, em andamento desde 2017 e encabeçado por Naercio Menezes, professor do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (MZ-USP). Um dos frutos desse trabalho até aqui foi a identificação e descrição de duas novas espécies de poraquê no ano de 2019.

Em uma das viagens anteriores, um de nossos pesquisadores encontrou essas duas novas espécies, uma delas é capaz de produzir até 650 volts através de seu órgão elétrico – algo que pode desmaiar um humano”, diz Menezes. Ele conta que essa descoberta teve grande repercussão, sendo até publicada pelo New York Times.

De acordo com Menezes, o museu se destaca pela grande representação de peixes de água doce de todo o Brasil e parte da América do Sul. A iniciativa também abriga um importante teor de preservação. “Nosso objetivo é revelar a abundância de espécies e o risco da extinção de algumas delas, decorrente de atividades humanas como a construção de hidrelétricas, incêndios, mineração e desflorestação.”

Durante a expedição, a equipe estará em busca da espécie Iracema caiana, que foi coletada apenas uma vez em 1968, bem como de outros exemplares que possam contribuir para estudos em curso ou até levar à descrição de novas espécies. Envolvendo quase 20 pessoas entre tripulação e pesquisadores, a expedição começa em Manaus e chega até Santa Isabel do Rio Negro, com duração prevista até o dia 2 de março.

Menezes diz que as chances de coleta de exemplares são favoráveis, já que a expedição dispõe de condições adequadas, como a utilização de uma rede de arrasto no fundo do rio e um grande time de pesquisadores, além do período exato de execução.

Com grande expectativa, os pesquisadores farão a coleta em um momento oportuno, devido à grande seca que atingiu a bacia amazônica no último ano, deixando o conteúdo de água dos Rios Negro e Branco reduzidos, criando poças que concentraram os peixes em determinadas áreas.

No processo da pesquisa, serão feitos também estudos moleculares, com análise de DNA de um fragmento de tecido do peixe. Este procedimento permite distinguir as espécies com precisão e auxilia na descrição morfológica e anatômica.

Os peixes-elétricos usam a eletricidade que produzem para se alimentar e se comunicar. A pesquisa descobriu que uma das espécies coletadas, os poraquês, exibem comportamento predatório em grupos, algo antes desconhecido.

“Acreditava-se que esses peixes se alimentassem isoladamente. Porém, eles conseguem cercar peixes pequenos e desferir choques continuados. As presas saltam fora da água, tornando-se presas fáceis.” Pontuou Menezes.

Fonte: Agência Brasil.

Fonte: https://portalmanausalerta.com.br/pesquisadores-fazem-expedicao-em-busca-de-peixes-eletricos-na-amazonia/

About Author

redacao