May 20, 2024
Manaus

Gravuras rupestres ressurgem durante escassez histórica de chuvas em Manaus; confira imagens

Gravuras rupestres ressurgem durante escassez histórica de chuvas em Manaus; confira imagens De acordo com arqueólogo Jaime Oliveira, as gravuras têm entre 1.000 a 2.000 anos — Foto: Hariel Fontenelle/ g1 AM

Seca histórica do Rio Negro revela gravuras rupestres de mil anos em Manaus

Manaus está presenciando um fenômeno arqueológico único devido à seca histórica do Rio Negro. Gravuras rupestres com mais de mil anos, conhecidas popularmente como “caretas”, estão emergindo das águas baixas do rio, revelando um tesouro cultural escondido por séculos.

Essas gravuras estão localizadas em uma região urbana da capital amazonense, conhecida como “Praia das Lajes”. O local é famoso por oferecer uma vista privilegiada para o Encontro das Águas. As gravuras foram registradas pela primeira vez no Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), destacando a importância desse local para a história e cultura da região.

As gravuras, que por muito tempo ficaram submersas, foram descobertas em 2010, quando as águas do Rio Negro atingiram uma marca preocupante de 13,63 metros. Na época, essa seca severa já era considerada a pior que Manaus já tinha enfrentado. Agora, 13 anos depois, o rio continua quebrando recordes de estiagem, revelando uma abundância de surpresas que estavam escondidas sob suas águas escuras.

As “caretas” são representações antropomorfas de civilizações pré-históricas que habitavam a região. Com a repercussão global através da internet e da conectividade cada vez maior, essas gravuras ganharam ainda mais destaque, despertando a curiosidade de pessoas de todo o mundo.

O arqueólogo Jaime Oliveira teve a oportunidade de visitar o local acompanhado por uma equipe da Rede Amazônica. Segundo ele, essas gravuras são um tesouro valioso para o estudo e a compreensão da pré-história da região amazônica.

A descoberta dessas gravuras rupestres é uma evidência da riqueza cultural e histórica que o Rio Negro tem a oferecer. À medida que o Brasil busca preservar e valorizar o seu patrimônio cultural, essas “caretas” são um lembrete vívido do passado e uma conexão direta com as civilizações antigas que habitaram a Amazônia.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/10/19/gravuras-rupestres-de-mais-de-mil-anos-reaparecem-em-meio-a-seca-historica-em-manaus-fotos.ghtml

About Author

redacao