April 21, 2024
Manaus

Aumento de queimadas em Manaus gera nova onda de fumaça, com mais de 200 registros em um único dia no Amazonas.

Aumento de queimadas em Manaus gera nova onda de fumaça, com mais de 200 registros em um único dia no Amazonas. Amazonas está em emergência ambiental por conta de queimadas. — Foto: William Duarte/Rede Amazônica

Amazonas enfrenta maior número de queimadas dos últimos 25 anos, com 236 registros em um único dia. A capital, Manaus, volta a ser afetada por uma “onda” de fumaça proveniente dos incêndios, agravando a crise ambiental no estado. Além das queimadas, a seca dos rios e a falta de chuvas têm afetado seriamente mais de 600 mil pessoas em quase todos os municípios.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o aumento significativo no número de queimadas no mês de outubro chama a atenção, sendo o maior dos últimos 25 anos, com quase 4 mil focos de calor registrados. Essa situação alarmante tem preocupado as autoridades e a população amazonense.

Em meio a essa crise, destaca-se o papel dos agropecuaristas nos incêndios, especialmente em municípios próximos à capital. A “primeira onda” de fumaça foi atribuída às queimadas realizadas por esses agricultores. Desde então, o número diário de queimadas variou, mas no último domingo as ocorrências aumentaram drasticamente, atingindo níveis preocupantes.

Os efeitos dessa alarmante situação são sentidos diretamente em Manaus e outras cidades vizinhas. A fumaça invadiu a cidade no domingo, encobrindo até mesmo pontos turísticos famosos, como o Teatro Amazonas e a Praia da Ponta Negra. A qualidade do ar tornou-se péssima, afetando a saúde e o bem-estar da população.

Além disso, a crise ambiental no Amazonas se estende a outros municípios do estado, especialmente na região sul, conhecida como o “arco do fogo e do desmatamento”. Lábrea e Boca do Acre estão entre as dez cidades com maior número de queimadas na Amazônia, registrando 515 e 348 focos de calor, respectivamente.

Diante dessa grave situação, o governador Wilson Lima decretou estado de emergência ambiental em setembro. O Ministro da Justiça autorizou o envio de agentes da Força Nacional para combater os incêndios. Mais de 140 agentes foram mobilizados para ajudar no combate ao fogo.

É crucial que medidas sejam tomadas urgentemente para conter as queimadas e preservar a Amazônia, uma das maiores riquezas naturais do Brasil. O combate aos incêndios deve envolver não apenas as autoridades governamentais, mas também a conscientização da população sobre a importância da preservação ambiental e da adoção de práticas sustentáveis. A solução desse problema exige um esforço conjunto e responsabilidade de todos.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/10/31/com-manaus-encoberta-por-nova-onda-de-fumaca-am-volta-a-registrar-mais-de-200-queimadas-em-um-unico-dia.ghtml

About Author

redacao