May 18, 2024
Manaus

Supremo dá prazo de 15 dias para manifestação da PGR sobre indiciamento de Bolsonaro

Supremo dá prazo de 15 dias para manifestação da PGR sobre indiciamento de Bolsonaro Foto: divulgação

Na capital federal, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, estipulou um período de 15 dias para que a Procuradoria-Geral da República (PGR) se posicione a respeito do dossiê apresentado pela Polícia Federal (PF) que atribui ao ex-presidente Jair Bolsonaro e a outros 16 indivíduos a responsabilidade por irregularidades no registro de vacinação contra a covid-19.

Esta será a primeira ocasião para o Procurador-Geral da República, Paulo Gonet, avaliar um processo que implica Bolsonaro. Gonet, nomeado para o cargo pelo atual presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tomou posse em dezembro do ano passado e está diante da decisão de formalizar uma denúncia contra o ex-líder nacional e os outros envolvidos diretamente ao STF.

A confidencialidade do informe da PF foi suspensa nesta quarta-feira (19) por Alexandre de Moraes. As apurações revelam que aproximadamente nove indivíduos teriam tirado proveito de um mecanismo de falsificação coordenado por Mauro Cid, antigo assistente de ordens, beneficiando sua família, incluindo esposa e filhas, assim como Bolsonaro, sua filha e o deputado Gutemberg Reis de Oliveira do MDB-RJ.

Segundo o informe, Cid teria adulterado dados no sistema do Ministério da Saúde para fornecer a Bolsonaro facilidades no processo de entrada e saída dos Estados Unidos, contornando as restrições sanitárias impostas tanto pelos EUA quanto pelo Brasil, que demandavam a vacinação contra o vírus para os que buscavam cruzar suas fronteiras.

Fabio Wajngarten, advogado de Bolsonaro, expressou sua contrariedade em sua conta na rede social X, anteriormente conhecida como Twitter, condenando o que descreve como divulgação indevida do indiciamento. Wajngarten destacou a frequência dos “vazamentos” e criticou a preferência por comunicados à imprensa em detrimento de procedimentos técnicos e formais.

Complementando a cobertura:

Mauro Cid confirmou que Alexandre de Moraes foi objeto de vigilância após o período eleitoral.

Para se manter atualizado com as últimas notícias, acesse o Portal Tucumã pelo WhatsApp através do link: https://cutt.ly/96sGWrb

Fonte: https://ampost.com.br/eleicoes-2024/desconhecida-pesquisas-mostram-que-maria-do-carmo-seffair-caiu-de-13-para-0-na-disputa-pela-prefeitura-de-manaus/

About Author

Redação 2