May 20, 2024
Amazonas Manaus

Porto da Zona Franca de Manaus sofre com seca histórica e fica sem receber navios cargueiros por mais de um mês

Porto da Zona Franca de Manaus sofre com seca histórica e fica sem receber navios cargueiros por mais de um mês Navio Izmir da MSC atraca no Super Terminais em Manaus durante a seca histórica de 2023 — Foto: Super Terminais

Seca recorde afeta transporte de cargas e navegação no Amazonas

A navegação no rio Amazonas tem sido severamente afetada pela seca recorde deste ano, ocasionando grandes desafios para o transporte de cargas na região. O impacto vem sendo sentido principalmente no Super Terminais, um importante porto privado que atende a Zona Franca de Manaus (ZFM). O porto chegou a passar mais de um mês sem receber navios cargueiros.

A estiagem atinge atualmente a maioria dos municípios do estado do Amazonas. Cerca de 59 dos 62 municípios encontram-se em situação de emergência, incluindo Manaus, a capital.

Localizado no bairro Colônia Oliveira Machado, na Zona Sul de Manaus, o Super Terminais ficou sem receber navios desde o dia 19 de setembro. Após mais de um mês, apenas um navio, o Izmir, da MSC, conseguiu atracar no porto, mas apenas com 10% de sua capacidade de carga.

O Izmir chegou no sábado (21) com 140 contêineres carregados com insumos para a Zona Franca de Manaus. Durante a semana, o navio partiu de Manaus levando consigo 110 contêineres.

Marcello Di Gregorio, diretor do Super Terminais, informou que essa operação representou um desafio complexo. “O navio conseguiu chegar ao terminal portuário devido às suas características, sendo menor do que os navios convencionais, medindo 184 metros enquanto a média é de 220 metros”, explicou. “Foi necessário fazer uma série de cálculos para garantir que o navio pudesse passar pelas áreas mais críticas do rio”, complementou.

Gregorio também afirmou que secas costumam afetar o transporte de cargas, mas raramente impedem a navegação. “É comum que, durante a estiagem, os navios que chegam a Manaus tragam apenas cerca de 40% de sua carga normal. No entanto, este ano, devido à seca histórica, a situação é um pouco diferente”, ressaltou.

Em condições normais, mesmo durante a estiagem, o porto costuma receber uma média de cinco navios por mês.

Segundo o diretor do Super Terminais, antes de chegar a Manaus, as embarcações precisam passar por dois trechos. Um desses trechos é conhecido como Tabocal, localizado no rio Amazonas, próximo à cidade de Itacoatiara, a 176 quilômetros da capital. O outro trecho é a foz do rio Madeira, também próximo a Itacoatiara.

Muitos navios têm enfrentado dificuldades ao tentar passar por esses trechos, o que tem prejudicado significativamente o fluxo de cargas na região.

“Temos uma boa profundidade de água no Super Terminais em Manaus, chegando a 38,5 metros, o que permite que navios e balsas possam manobrar e atracar normalmente. O desafio está na passagem dos navios na foz do rio Madeira e no Tabocal. Se não fosse por essas dificuldades, estaríamos operando normalmente”, afirmou Gregorio.

De acordo com especialistas e parceiros consultados pelo porto, estima-se que o nível dos rios pare de baixar em aproximadamente 20 dias. Com essa melhora nas condições, espera-se que a situação em Manaus comece a se normalizar.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/10/26/com-seca-recorde-porto-que-atende-zona-franca-de-manaus-fica-mais-de-um-mes-sem-receber-navios-cargueiros.ghtml

About Author

redacao